“A mais bela profissão de fé é aquela que, como um raio, dissipa as trevas da sua alma.” (Padre Pio de Pietrelcina)

Façamos do nosso Natal uma festa cristã

4246b121d2dc949b8f082c5f57840a3b_L“Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados” (Lc 2,14). O contexto da história de Natal é diferente, mas a mensagem é sempre a mesma. “Ele veio para os seus e os seus não O reconheceram e acolheram” (Jo 1,10-11). Hoje, infelizmente, não é diferente. A realidade do coração humano em pouco mudou. A paz é um produto que está em falta em nossos dias.

Podemos concluir que, em grande parte, as tensões na convivência humana têm uma origem comum. Elas são a consequência do que se passa na intimidade do coração de cada pessoa. A paz não é apenas o resultado de tratados humanos em si, mas fruto da justiça que, antes de tudo, deve estar presente no coração das pessoas. Para isto precisamos estar abertos para o acolhimento da vontade de Deus em nossas vidas através da Palavra, da Boa Nova dos Evangelhos de Jesus e através dos sacramentos e comunhão da Igreja.

Maria, a Mãe de Jesus, com sua vida nos indica o melhor caminho para nos encontrarmos com a paz verdadeira e com o espírito do Natal. “Eis aqui a Serva do Senhor faça-se e mim segundo a tua Palavra” (Lc 1,28). “Fazei tudo o que Ele vos ensinar” (Jo 2,5). Este é o segredo para os que desejam celebrar, também em nossos dias, o Natal de Jesus.

A Bíblia revela a grande história de um Deus enamorado e apaixonado pela humanidade. Particularmente nos revela a história de um Deus comprometido com a vida, a sorte, com as aspirações e sofrimentos humanos e, acima de tudo, com a salvação e a vida eterna para todos. Ensina Jesus: “A vontade de meu Pai é que nenhum dos seus filhos se percam”, (Mt 18,14). Deus Pai em Cristo, na ação do Espírito Santo, nos quer dar “vida e vida em plenitude” (Jo 10,10).

Mas, sejamos sinceros, também hoje, para não poucos cristãos, o Natal se transformou apenas numa festa afetiva familiar, ou pior, numa festa de presentes e de comércio!

Há uma grande mensagem a ser reconhecida, descoberta e acolhida em Deus que saiu de si e se tornou um de nós na Gruta de Belém. Somos, nós também, convocados a sair de nós próprios e irmos ao encontro de Jesus nos irmãos mais pequeninos e feridos de nosso tempo. Neles hoje a Pessoa de Jesus espera ser reconhecido, acolhido e amado.

Portanto, para também hoje vivenciarmos o verdadeiro espírito e mensagem do Natal de Jesus, não basta que apenas reconheçamos no Menino da Gruta de Belém, o nosso único Salvador e Redentor, desde sempre prometido por Deus e anunciado pelos patriarcas e profetas. Precisamos hoje e sempre acolhê-Lo na hospedaria de nosso coração e reconhecê-Lo na presença dos mais necessitados da terra que esperam pelo nosso amor e nossa solidariedade cristã.

De coração, desejo a todos, um feliz, santo e abençoado Natal.
Padre Evaristo Debiasi

Fonte: Ajuda à Igreja que Sofre

Anúncios

Os comentários estão desativados.