“A mais bela profissão de fé é aquela que, como um raio, dissipa as trevas da sua alma.” (Padre Pio de Pietrelcina)

Posts com tag “Francisco

Publicada a Laudato si: como cuidar da criação

CARTA ENCÍCLICA
LAUDATO SI’
DO SANTO PADRE
FRANCISCO
SOBRE O CUIDADO DA CASA COMUM

1. «LAUDATO SI’, mi’ Signore – Louvado sejas, meu Senhor», cantava São Francisco de Assis. Neste gracioso cântico, recordava-nos que a nossa casa comum se pode comparar ora a uma irmã, com quem partilhamos a existência, ora a uma boa mãe, que nos acolhe nos seus braços: «Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã, a mãe terra, que nos sustenta e governa e produz variados frutos com flores coloridas e verduras».[1]

2. Esta irmã clama contra o mal que lhe provocamos por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou. Crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la. A violência, que está no coração humano ferido pelo pecado, vislumbra-se nos sintomas de doença que notamos no solo, na água, no ar e nos seres vivos. Por isso, entre os pobres mais abandonados e maltratados, conta-se a nossa terra oprimida e devastada, que «geme e sofre as dores do parto» (Rm 8, 22). Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra (cf. Gn 2, 7). O nosso corpo é constituído pelos elementos do planeta; o seu ar permite-nos respirar, e a sua água vivifica-nos e restaura-nos. (mais…)

Anúncios

Papa Francisco – “Dinheiro deve servir e não governar”

1_0_692597Papa Francisco recebeu esta manhã quatro novos embaixadores: do Quirguistão, (Bolot Iskovic Otunbaev); de Luxemburgo, (Jean Paul Senniger); de Antigua e Barbuda, (David Showl) e de Botsuana, (Lameck Nthekela).

Quatro países de continentes e realidades internas e eclesiais muito diferentes, mas nos quais os desafios e problemas são idênticos a todas as sociedades ‘globalizadas’: crise econômica, tensões sociais, reações nacionalistas e egoístas e a tentação de fechamento e exclusão.

Assim, dirigindo-se aos embaixadores, o Pontífice afirmou que a humanidade vive neste momento ‘um retorno à própria história’, considerando os progressos registrados em âmbitos como a saúde, a educação e a comunicação.

“No entanto, devemos reconhecer também que a maior parte dos homens e das mulheres do nosso tempo continuam a viver numa precariedade quotidiana com consequências funestas: o medo e o desespero arrebatam os corações de muitas pessoas, até mesmo nos países considerados ricos. A alegria de viver começa a diminuir; a indecência e a violência estão em aumento; a pobreza se torna mais evidente. Deve-se lutar para viver e, muitas vezes, viver com pouca dignidade”.

Para Francisco, uma das causas desta situação é a relação que temos com o dinheiro, ao aceitar o seu domínio sobre nós e sobre nossas sociedades. Assim, a crise financeira, nos faz esquecer sua origem primordial: a primazia do homem.

(mais…)


Audiência geral: “A vida não nos foi dada para que a conservemos para nós mesmos, mas nos foi dada para que a doemos”.

1_0_685924Mais uma quarta-feira de festa na Praça São Pedro no Vaticano; de fato mais de 70 mil fiéis provenientes de todas as partes do mundo se reuniram para ouvir a catequese do Papa Francisco no âmbito da audiência geral. No encontro desta manhã o Santo Padre refletiu sobre três textos do Evangelho que ajudam a entrar no mistério de uma das verdades que se professam no Credo: Jesus “de novo há de vir em sua glória para julgar os vivos e os mortos”; os textos foram o das dez virgens, a dos talentos e o do Juízo Final.

Na parábola das dez virgens – disse o Papa – o Esposo que as jovens esperam com as lâmpadas de azeite é o Senhor. O tempo de espera é o tempo que devemos manter acesas as nossas lâmpadas da fé, da esperança e da caridade, é o tempo antes de sua vinda final.

“O que se pede é que devemos estar preparados para o encontro, que significar saber ver os sinais de sua presença, manter viva a nossa fé, com a oração e com os Sacramentos; trata-se de ser vigilantes para não dormirmos, para não se esquecermos de Deus”.

Já na parábola dos talentos, se recorda que Deus concedeu dons, que devem ser usados e multiplicados, pois no seu retorno perguntará como foram utilizados.

Esta parábola – disse o Papa – nos fala que a espera do retorno do Senhor é o tempo da ação, o tempo no qual usar os dons de Deus, não para nós mesmos, mas para Ele, para a Igreja, para os outros, o tempo no qual procurar sempre fazer crescer o bem no mundo. E em particular hoje, neste período de crise, é importante não se fechar em si mesmo, enterrando o próprio talento, mas abrir-se, ser solidário, estar atento ao outro. E falando aos jovens disse:

(mais…)


Papa Francisco: os cristãos são humildes, pobres e mansos; os carreiristas não têm fé

1_0_685281O Evangelho do Bom Pastor com Jesus que se define “a porta das ovelhas” esteve no centro da homilia do Papa, na manhã desta segunda-feira, na missa celebrada na capela da Casa Santa Marta, no Vaticano.

Participaram da celebração alguns funcionários da Sala de Imprensa da Santa Sé, com o diretor Pe. Federico Lombardi e o vice-diretor Pe. Ciro Benedettini, e alguns técnicos da Rádio Vaticano que trabalham no parque de transmissão da nossa emissora, situado na localidade de “Santa Maria di Galeria”.

No Evangelho proposto pela liturgia do dia, Jesus diz que quem não entra no recinto das ovelhas pela porta, não é o pastor. A única porta para entrar no Reino de Deus, para entrar na Igreja – afirmou o Papa –, é Jesus mesmo.

“Quem não entra no recinto das ovelhas pela porta, mas chega até elas de outra parte, é um ladrão ou um brigante.” É “alguém que quer tirar proveito para si mesmo” – disse o Pontífice – é alguém que “quer ascender”:

“Também nas comunidades cristãs existem os carreiristas, não?, que buscam proveito próprio… e conscientemente ou inconscientemente enganam entrar, mas são ladrões e brigantes. Por que? Porque roubam a glória a Jesus, querem a glória para si e isso é aquilo que Jesus dizia aos fariseus: ‘Vós buscais a glória um ao outro…’. De certo modo, uma religião de negócio, não? Dou a glória a ti e tu dás a glória a mim. Mas estes não entraram pela porta verdadeira. A porta é Jesus e quem não entra por esta porta erra. E como faço para saber que a porta verdadeira é Jesus? Como faço para saber que esta porta é a porta de Jesus? Pegue as Bem-aventuranças e faça aquilo que dizem as Bem-aventuranças. Seja humilde, seja pobre, seja manso, seja justo…”

(mais…)


Papa Francisco: “Concílio é fruto do Espírito, mas permanece inaplicado”

1_0_683236Nesta terça-feira, 16, Bento XVI completa 86 anos e Papa Francisco o lembrou no início da missa celebrada em sua residência, n Casa Santa Marta.

“Oferecemos-lhe a Missa, para que o Senhor esteja com ele, o conforte e lhe dê muito consolo”.

Na homilia, o comentário da primeira leitura do dia: o martírio de Santo Estevão, que antes de ser lapidado anunciou a Ressurreição de Cristo e advertiu para a resistência ao Espírito Santo. O Papa repetiu que mesmo em meio de nós, ainda existe esta resistência.

“Ao que parece, hoje o Espírito Santo nos incomoda, porque nos incentiva, empurra a Igreja para que vá adiante. E nós queremos que ele adormeça, queremos domesticá-lo, e isto não é bom porque Ele é Deus e é a força que nos consola, a força para prosseguirmos. Mas seguir avante dificulta… a comodidade é melhor!”.

“Hoje – prosseguiu o Papa – aparentemente estamos todos contentes com a presença do Espírito Santo, mas não é assim. Por exemplo, vamos pensar no Concílio:

(mais…)


Conheça a biografia do novo Papa

429678_10151340595254632_1950722264_nCardeal Jorge Mario Bergoglio, SJ, arcebispo de Buenos Aires, Argentina, nasceu em 17 de dezembro de 1936, em Buenos Aires. Ele foi ordenado pelos jesuítas, em 13 de dezembro de 1969, durante os estudos teológicos na Faculdade de Teologia de San Miguel.

Ele era noviço-mestre em São Miguel, onde também ensinou teologia. Foi Provincial da Argentina (1973-1979) e reitor da Faculdade de Filosofia e Teologia de San Miguel (1980-1986). Depois de completar sua tese de doutorado na Alemanha, serviu como confessor e diretor espiritual em Córdoba.

(mais…)