“A mais bela profissão de fé é aquela que, como um raio, dissipa as trevas da sua alma.” (Padre Pio de Pietrelcina)

JMJ – Nossos pecados não sumirão na base da twitada

jmj_indulgencia

A imagem acima é do site Kibeloco. Está até bacana! Convenhamos: é humor. O duro é ver a grande mídia, que deveria ser séria, reproduzir informações muito loucas sem o mínimo de apuração.

A respeito da anunciada indulgência que os participantes da JMJ poderão receber, teve manchete dizendo: “Indulgência plenária com um twit”; “Papa vai perdoar pecados de fiéis pelo Twitter”; “Seguidores do Papa no Twitter podem ter pecados perdoados”… enfim, só asneira.

Antes de tudo, é preciso entender que a indulgência NÃO concede o perdão dos pecados (explicaremos mais adiante). Os participantes da JMJ poderão obter a indulgência plenária, e também aqueles que, estando realmente impedidos de participar, acompanhem a Jornada pelo Rádio, pela TV ou pela Internet.

Quem pode nos explicar melhor essa história é o arcebispo Claudio Maria Celli, presidente do Conselho Pontifício das Comunicações Sociais. Em entrevista ao jornal italiano “Corriere della Sera”, ele disse (tradução e grifos nossos):

“Tirem de suas cabeças de imediato que se trata de qualquer forma mecânica, que você só precisa clicar na internet por alguns dias para obter a indulgência plenária. Vou explicar tudo. Basta ter paciência.”

“Os fiéis que estão legitimamente impedidos [de participar presencialmente da JMJ] poderão obter a indulgência plenária, se […] eles seguirem os mesmos rituais e exercícios piedosos […] sempre com a apropriada devoção, por meio novos meios de comunicação social. “

“Sim, mas lembre-se: você não consegue a indulgência do jeito que você obtém café em uma máquina de venda automática. (…) Dito de outra forma, não será suficiente assistir à missa no Rio on-line, seguir o Papa em seu iPad ou visitar o portal Pope2You.net. Essas são apenas ferramentas que estão disponíveis para os fiéis. O que realmente importa é que os tweets do Papa do Brasil ou as fotos da JMJ, que serão publicadas no Pinterest, devem ter autêntico fruto espiritual nos corações de cada um de nós. Então, até mesmo um jovem que está distante do Brasil e se sente envolvido por um vídeo, uma simples mensagem de texto ou um e-mail, estará verdadeiramente participando da Jornada Mundial da Juventude e receberá o dom da indulgência”.

– Dom Claudio Celli. Entrevista ao Corriere della Sera, 13/07/2013

Ficou claro, pessoal? Não basta acompanhar a JMJ on-line, clicando aqui e ali de forma mecânica, sem espírito de oração e sem envolvimento. Precisa estar, de fato, desejando que as imagens e textos acessados deem frutos de santidade em sua vida.

No site da CNBB, Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, explica que para receber a indulgência plenária na JMJ 2013 é preciso “fazer aquilo que a Igreja indica”:

– confissão sacramental;
– comunhão eucarística;
– oração pelo Papa Francisco – “ao menos um Pai Nosso e uma Ave-maria”;
– cumprir “a obra prescrita”. No caso, a obra é participar (ainda que à distância) da JMJ;
– ter a aversão ao pecado;
– não estar excomungado;
– ter desejo de obter a graça.
Como deu pra notar, não é uma graça que se receba num estalar de dedos. É necessária uma séria responsabilidade com a sua vida espiritual.

E é bom frisar: a INDULGÊNCIA NÃO PERDOA PECADO NENHUM, mas sim nos livra – de forma parcial ou plena – de nossas penas temporais (aquelas “acumuladas” até o momento da obtenção da indulgência).

Fonte: O Catequista

Os comentários estão desativados.