“A mais bela profissão de fé é aquela que, como um raio, dissipa as trevas da sua alma.” (Padre Pio de Pietrelcina)

Adoração e penitência marcam Procissão de Fé

A procissão, promovida pela Arquidiocese de Fortaleza, marca o período de preparação para a Quaresma

d553408071d64fc6747dab3f30b94c0dA dona de casa Lúcia Feijó saiu de casa às 5 da manhã em direção à Igreja Nossa Senhora da Saúde, no Mucuripe, para participar de mais uma Caminhada Penitencial, junto com aproximadamente outros dois mil fiéis, que acompanharam a procissão iniciada às 7 horas. Com destino à Catedral Metropolitana, no Centro da cidade, a iniciativa representou uma manifestação pública de fé presente no contexto penitencial da Quaresma.

Milhares de fiéis se reuniram durante a Caminhada Penitencial que teve o percurso iniciado às 7 horas, no Mucuripe, e finalizado somente na Catedral metropolitana de Fortaleza, no Centro da Cidade FOTO: FABIANE DE PAULA

A Caminhada é inspirada na peregrinação do povo de Deus pelo deserto, como narra a Bíblia e representa, também, que a Igreja de Cristo deve seguir em frente e fazer o bem.

Durante o percurso, os fiéis levaram nos ombros uma cruz com cerca de 300 quilos, feita em madeira e com seis metros de altura e três de largura, representando a cruz de Cristo e os pecados do homem, carente de perdão divino. O gesto de carregar a cruz é visto como um sinal de salvação e vitória de Cristo, além de recordar a morte de Jesus.

Arrependimento e amor

Durante todo o percurso, houve confissão de pecados, adoração, música e oração. Dizendo “Queremos luz, não as trevas”, os participantes faziam pedidos a Deus por um mundo com mais perdão e paz. Para o arcebispo de Fortaleza, José Antônio Aparecido, a caminhada representa um caminho mais profundo de conversão, arrependimento e amor. Ele destacou, também, a graça de Jesus, que se estende a todos os homens independentemente de raça, credo ou cor.

O administrador de empresas Ricardo Gomes acompanhou a caminhada junto com sua família, pela terceira vez consecutiva. “Tirar um domingo para acordar cedo e ter comunhão com Deus e nossos irmãos é muito bom, porque somos preenchidos por uma paz sem igual”, ressaltou ele.

Enquanto isso, para Rita Castro, a procissão não é apenas um trajeto sem significado, mas, sim, uma chance de preencher o coração e a mente com bons pensamentos. “Olhamos em volta e vemos tantas coisas ruins, que só Deus para nos dar esperança de dias melhores. Na Caminhada Penitencial podemos aprender que isso é possível, além de recebermos o perdão de Deus”, afirmou Rita.

Com a intenção de proporcionar um trajeto tranquilo a todos os fiéis que decidiram participar da Caminhada Penitencial, na manhã de ontem, equipes da Polícia Militar, assim como um efetivo da Autarquia Municipal de Trânsito, Cidadania e Serviços Públicos (AMC) deram apoio ao evento religioso durante todo o seu trajeto.

Fonte: Diário do Nordeste

Os comentários estão desativados.