“A mais bela profissão de fé é aquela que, como um raio, dissipa as trevas da sua alma.” (Padre Pio de Pietrelcina)

Catecismo da Igreja Católica

Na parte introdutória do Catecismo da Igreja Católica (CIC), o Papa João Paulo II diz que “guardar o depósito da fé é a missão que o Senhor confiou à sua Igreja e que ela cumpre em todos os tempos.” Nos tempos atuais, o depósito da fé pode ser representado por este livro que guarda “um conjunto considerável de exposições doutrinárias e de diretrizes pastorais oferecidas a toda a Igreja”. É, portanto, um caminho seguro.

O Papa Bento XVI teve especial participação na elaboração do CIC, vez que foi incumbido por João Paulo II para trabalhar “cuidadosamente na execução da tarefa que lhe foi atribuída, dando atenção particular às muitas propostas de modificação das enunciações do Catecismo.” Vencida essa etapa, o texto passou pelo crivo dos Bispos do mundo todo e, segundo João Paulo II, o Catecismo da Igreja Católica testemunha, também, “a catolicidade da Igreja”.

O valor doutrinal do CIC é imensurável, uma vez que “é uma exposição da fé da Igreja e da doutrina católica, testemunhadas ou iluminadas pela Sagrada Escritura, pela Tradição Apostólica e pelo Magistério da Igreja.” Além de ser, também, “um instrumento válido e legítimo a serviço da comunhão eclesial” e servir como “uma norma segura para o ensino da fé”.

Atualmente, é desejo do Papa Bento XVI que os fiéis católicos estudem o Catecismo. E ele é bem claro em sua Carta Apostólica sob a forma de Motu Proprio Porta Fidei, na qual ele proclama o Ano da Fé.

Assim, estudar o Catecismo da Igreja Católica é atender a um desejo do Papa, doce vigário de Cristo na Terra, sabendo oferecer “a todo homem que nos pergunte a razão de nossa esperança e queira conhecer aquilo que a Igreja Católica crê.”

Pe. Paulo Ricardo

Fonte: http://padrepauloricardo.org/

Leia o Catecismo da Igreja Católica aqui.

Anúncios

Os comentários estão desativados.